http://www.oesteatual.com/site/images/slide/ban-slide-wide-001.jpg

CLIPPING

 92787682 mapa

Seis países da América Latina estão na lista dos 13 com maior índice de criminalidade, segundo publicação apresentada nesta quinta-feira pelo grupo de investigação de dados Verisk Maplecroft.

Guatemala – posicionada em segundo lugar na lista, atrás do Afeganistão - foi considerado o país da região com o mais elevado nível de criminalidade no último ano.

Os outros países incluídos na lista de risco extremo são El Salvador, Colômbia, Venezuela, México e Honduras. "Estes dados indicam que a América Latina é a região com maior índice de criminalidade do planeta", disse Grant Sunderland, coordenador da investigação, à BBC Mundo.

Números oficiais indicaram que em 2015 pelo menos 5.681 personas morreram assassinadas na Guatemala. "Isto se deve especialmente ao domínio que exercem as organizações de tráfico ilegal de drogas, à extorsão e aos roubos em 11 dos países da região", explicou.

Celia Castedo Monasterio, funcionária do aeroporto de Santa Cruz de La Sierra, na Bolívia, ao ver o plano de voo, alertou para o risco de ocorrer uma pane seca na aeronave da LaMia. Após observar que o tempo de viagem era igual à autonomia do avião, ela pediu alterações no plano da viagem, mas não foi atendida.

Tanto as conversas entre o piloto e a controladora de voos momentos antes do acidente, quanto a falta de vestígios de combustível no local da queda do avião, dão grandes probabilidades de a causa do acidente ser confirmada como ‘pane seca’. A hipótese já foi levantada pela Aeronáutica colombiana, nesta quinta-feira (1º/Dez).

Acidente

A delegação da Chapecoense saiu de Guarulhos para a Bolívia em voo comercial. Após escala técnica, deixou Santa Cruz de La Sierra em direção a Medellín, em um avião da empresa boliviana Lamia. Havia 77 pessoas a bordo, sendo 68 passageiros e nove tripulantes. Quando sobrevoava as cidades colombianas de La Ceja e Abejorral, colidiu com o pico de uma montanha. Apenas seis pessoas sobreviveram.